separador.jpg

Eventos da Semana Santa em nossa Catedral

semana.png
separador.jpg

Venham participar da 35ª Caminhada da Ressurreição.

 

 

Caminhada001.jpg

A Caminhada da Ressurreição é um evento católico da cidade de São Paulo que, desde 1984, acontece no sábado de Aleluia (dia que antecede o domingo de Páscoa) pela Diocese de São Miguel Paulista.
A concentração é às 23h, na Basílica e Santuário Eucarístico Nossa Senhora da Penha, localizado na rua Santo Afonso, 199, Penha.


Para celebrar a Ressurreição de Jesus Cristo, o embalo musical é por conta das bandas católicas em percurso de 13 Km, durante a madrugada à dentro nas ruas dos bairros da Zona Leste.


Recomendamos aos participantes:

 

  • Leve lanches, água ou refrigerantes;
  • Use roupas e calçados confortáveis;
  • Leve documento de identificação;
  • Caso tenha alguma doença grave, leve alguma identificação.

 

Esperamos por vocês!!!!

separador.jpg

 

Parabéns Padre Geraldo!

 

Dia 17/03/2019 todos nós temos um motivo para comemorar!

 

Aniversário de 34 anos de sacerdócio do nosso Pároco Padre Geraldo.

 

Venham participar da missa em Ação de Graças por mais um ano dedicado a Deus.

 

convite padre.png
separador.jpg
papa quaresma.jpeg

Quaresma 2019: converter-nos para fazer da criação um jardim, não um deserto

 

A criação clama pela conversão dos filhos de Deus, escreve o Papa Francisco em sua mensagem para a Quaresma 2019.

 

A redenção da criação

 

O Pontífice destaca que a criação se beneficia da redenção do homem quando este vive como filho de Deus, isto é, como pessoa redimida. Neste mundo, porém, adverte Francisco, “a harmonia gerada pela redenção continua ainda – e sempre estará – ameaçada pela força negativa do pecado e da morte”.

 

A força destruidora do pecado

 

Com efeito, prossegue o Papa, quando não vivemos como filhos de Deus, muitas vezes adotamos comportamentos destruidores do próximo, das outras criaturas, mas também de nós mesmos. Isso leva a um estilo de vida que viola os limites que a nossa condição humana e a natureza nos pedem para respeitar, seguindo desejos incontrolados.

“ Se não estivermos voltados continuamente para a Páscoa, para o horizonte da Ressurreição, é claro que acaba por se impor a lógica do tudo e imediatamente, do possuir cada vez mais. ”

A aparição do mal no meio dos homens interrompeu a comunhão com Deus, com os outros e com a criação, a ponto de o jardim se transformar num deserto.
Trata-se daquele pecado que leva o homem a considerar-se como deus da criação, explica o Papa, a sentir-se o seu senhor absoluto. Quando se abandona a lei de Deus, a lei do amor, acaba por se afirmar a lei do mais forte sobre o mais fraco.

“O pecado, manifestando-se como avidez, ambição desmedida de bem-estar, desinteresse pelo bem dos outros – leva à exploração da criação (pessoas e meio ambiente), movidos por aquela ganância insaciável que considera todo o desejo um direito e que, mais cedo ou mais tarde, acabará por destruir inclusive quem está dominado por ela.”

 

A força sanadora do arrependimento e do perdão

 

Por isso, a criação tem impelente necessidade que se revelem os filhos de Deus. E o caminho rumo à Páscoa chama-nos precisamente a restaurar a nossa fisionomia e o nosso coração de cristãos, através do arrependimento, a conversão e o perdão, para podermos viver toda a riqueza da graça do mistério pascal.

A Quaresma chama os cristãos a encarnarem, de forma mais intensa e concreta, o mistério pascal na sua vida pessoal, familiar e social, particularmente através do jejum, da oração e da esmola.

Jejuar, isto é, aprender a modificar a nossa atitude para com os outros e as criaturas: passar da tentação de «devorar» tudo para satisfazer a nossa voracidade, à capacidade de sofrer por amor, que pode preencher o vazio do nosso coração. Orar, para saber renunciar à idolatria e à autossuficiência do nosso eu, e nos declararmos necessitados do Senhor e da sua misericórdia. Dar esmola, para sair da insensatez de viver e acumular tudo para nós mesmos.

“ Queridos irmãos e irmãs, a ‘quaresma’ do Filho de Deus consistiu em entrar no deserto da criação para fazê-la voltar a ser aquele jardim da comunhão com Deus. Que a nossa Quaresma seja percorrer o mesmo caminho, para levar a esperança de Cristo também à criação. ”

 

“Não deixemos que passe em vão este tempo favorável!”, é o apelo final do Papa.

 

separador.jpg
papa - exercícios espirituais.jpeg

Exercícios espirituais: reencontrar o desejo de voltar ao coração de Deus

 

“Os desejos ardentes” foi o tema proposto pelo abade Bernardo Francesco Maria Gianni nos Exercícios espirituais, na manhã desta quarta-feira (13/03), ao Papa Francisco e membros da Cúria Romana, em Ariccia, na Casa do Divino Mestre.

A meditação inspirou-se, como nos últimos dias, nos versos poéticos de Mario Luzi que fala do desejo de superar todas as formas de egoísmo, a fim de voltar para a presença, ao rosto, ao coração de Deus, fazendo-se testemunhas críveis “nas estradas em que somos chamados a ser missionários da fraternidade que transforma os nossos fechamentos em testemunho, em partilha do amor que recebemos”.

“Essa perspectiva vale de modo particularmente intenso  para a Igreja e para essa nossa comunidade que está vivendo os Exercícios espirituais a fim de voltar cada um para as suas responsabilidades como as estrelas do profeta Baruc que evocaremos amanhã”, disse o abade.

 

São Bento e o desejo de Deus

 

Bernardo Francesco Maria Gianni citou a Regra de São Bento que se abre na perspectiva do desejo e nos fala do “desejo de Deus de ser desejado”, explicando que é esse desejo que impele Deus “nesse movimento de descida do céu para ver, como nos diz a regra, se existe alguém que deseja ver dias felizes”.

“Realmente nos coloca na condição de redescobrirmos buscados e desejados pelo Senhor. Uma experiência, na realidade, não apenas dos monges, mas de toda a humanidade, se reencontra o desejo de descobrir-se finalmente desejada pelo Senhor”, frisou ainda o abade beneditino.

 

O nosso tempo perdeu a capacidade de desejar

 

Segundo o pregador, está difundido, hoje, o sentimento que nos faz dizer: não preciso de nada, sou rico. Aqui, o abade olha para o mundo atual, em particular, para a situação social italiana e especialmente para os jovens que vivem a experiência “do desinteresse pelo desejo, pelo desejo das coisas duradouras e importantes”. “Voltar a desejar é a virtude civil necessária para reativar uma sociedade saciada e sem estímulo”, disse ele.

Doar esperança à humanidade

 

O pregador repropôs um trecho da Constituição Pastoral Gaudium et spes, sobre a Igreja no mundo atual: “Podemos legitimamente pensar que o futuro da humanidade está nas mãos daqueles que são capazes de transmitir às gerações futuras razões de vida e esperança.”

“Eis aqui o convite a ser uma Igreja de desejos ardentes numa cidade de desejos ardentes, num mundo de desejos ardentes, despertando o máximo possível o desejo de Deus em todos aqueles que encontramos, lembrando-lhes a graça e o mistério de ter sido desejado, não obstante as características tortuosas e difíceis de sua vida talvez ainda jovem.”

 

Gratidão pelo dom de Francisco

 

Celebra-se, nesta quarta-feira, o sexto aniversário do início do pontificado de Francisco e o abade Bernardo Francesco Maria Gianni proferiu algumas palavras de gratidão a Deus por esse dom.

“Acredito”, disse ele, “que o nosso Papa realmente nos ensina a ir além dos confins. Recorda ao homem e a mulher do nosso tempo que existem fronteiras, mas acima de tudo, que são convidados pela força do Espírito Santo a superar esses confins, pois o coração do ser humano não tem fronteiras. Ele nos lembra isso todos os dias com a fidelidade destemida ao Evangelho”.

separador.jpg

Diocese faz abertura da Campanha da Fraternidade de 2019

 

No dia 10 de março, primeiro domingo da quaresma, às 15horas, na Catedral de São Miguel Arcanjo, a Diocese de São Miguel Paulista fez a abertura da Campanha da Fraternidade de 2019, cujo lema é “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).A celebração da Palavra foi presidida pelo bispo diocesano, Dom Manuel Parrado Carral, com a presença do bispo emérito, Dom Fernando Legal, grande número de padres e diáconos, religiosas, seminaristas e o povo vindo das nossas 103 paróquias e suas comunidades.

 

2019 CF2

2019 CF1

 

Em sua homilia Dom Manuel realçou os 30 anos de criação da Diocese, e conclamou o povo a, durante a quaresma, refletir nas comunidades o tema da CF/2019: Fraternidade e Políticas Públicas. Alertou que, como cristãos, não podemos permitir que haja retrocesso nas conquistas sociais alcançadas, ao contrário devemos avançar nestas conquistas como nos afirmou o Papa Francisco em sua mensagem para o dia mundial da paz: “Cada renovação nos cargos eletivos, cada período eleitoral, cada etapa da vida pública constitui uma oportunidade para voltar à fonte e às referências que inspiraram a justiça e o direito”.

 

2019 CF3

separador.jpg

Campanha da Fraternidade 2019

Abertura - dia 10/03/2019 às 15h

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abre oficialmente na quarta-feira de cinzas, 6/3, a Campanha da Fraternidade (CF) 2019 com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27). O lançamento acontecerá na sede provisória da entidade em Brasília (DF).

Nesta Campanha, a ser desenvolvida mais intensamente no período da Quaresma, a Igreja Católica buscará chamar a atenção dos cristãos para o tema das políticas públicas, ações e programas desenvolvidos pelo Estado para garantir e colocar em prática direitos que são previstos na Constituição Federal e em outras leis. Além disso, a

Nesta CF 2019, a Igreja no Brasil pretende estimular a participação dos cristãos em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade.  O texto-base da campanha, que será distribuído aos jornalistas na abertura, descreve, entre outros tópicos, sobre o ciclo e etapas de uma política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de Estado, bem como apresenta os canais de participação social, como os conselhos previstos na Constituição Federal de 1988.

Todos os anos, a CNBB apresenta a CF como caminho de conversão quaresmal. É uma atividade ampla de evangelização que pretende ajudar os cristãos e pessoas de boa vontade a vivenciarem a fraternidade em compromissos concretos, provocando, ao mesmo tempo, a renovação da vida da Igreja e a transformação da sociedade, a partir de temas específicos. Em 2019, a Conferência convida todos a percorrer o caminho da participação na formulação, avaliação e controle social das políticas públicas em todos os níveis como forma de melhorar a qualidade dos serviços prestados ao povo brasileiro.